Stealth of Nations: The Global Rise of the Informal Economy ] #acervo de #livros ou seja #books ]



É possível que este livro esteja a descrever a ascensão de uma nova classe social ao falar de economia informal, ou paralela. Drogas e crimes violentos não entram na definição. DVD's piratas e sandes na feira entram. São muitos, os que fazem comércio e não pagam impostos. Entretrocam-se em variações internacionais, negoceiam.

O livro e o autor defendem a mesma coisa: onde o estado não existe, ou é lento, há comércio, e funciona, e gera riqueza, e devia ser de alguma forma integrado na situação contínua do mundo porque faz bem ao mundo. De Kinshasa até Guangzhou, de Paris até LA. São Paulo to Mumbai.

Consta que a ascensão da burguesia é contemporânea de grandes feitos técnicos, imensa invenção, ferramentas de cálculo. Isto de uma economia informal enorme que emprega, educa, e alimenta milhões, agora, com os telefones e a net, com printers 3D, com tudo, faz pensar, inevitavelmente, em movimentos políticos.