ART OF EXIT a #book? a #report


Não é um livro mas um relatório publicado este mês pela NESTA - The National Endowment for Science, Technology and the Arts, uma agência oficial britânica.
Em cenário de transição dos modos de produção, do fim de uma revolução industrial para o levantamento de uma segunda economia (a digitized one) e, porque não?: em tempos de austeridade; a reestruturação e mesmo o  fim de alguns serviços e  projectos públicos tem-se tornado uma constante nas nossas sociedades.

Embora mais centrados não no fim dos serviços prestados pelos estados em si, mas sim naqueles que consideram desorganizados, os autores do relatório: Laura Bunt e Charles Leadbeater procuram demonstrar em The Art of Exit, formas inovadoras e bem sucedidas para o serviço público da reestruturação do apoio prestado.

A tese é: Constraints on public finances will force public service providers to find more sustainable ways of meeting social needs. 
Mas também: Advances in technology mean citizens and consumers will increasingly expect to find information easily, rate and rank, download and access services, be informed and involved in decision making. These technologies may also provide some of the means to create new public services, creating new platforms to connect with citizens, for public servants to collaborate with one another and for citizens to share information, ideas and resources.

Fig 1, página 25: The Cycle of Decommissioning

A análise do ciclo parece acertada e contemporânea mas, talvez seja para duvidar que na realidade portuguesa, inovação e desactivação sejam conceitos tão irmãos.
Por aqui joga-se mais com meio ciclo, o da parte inferior: que a actual situação é insustentável, tem que se fazer rupturas, demantelar/mudar/reimplantar. YES, mas: Engage? Create a vision? Formalise a Scale?