GENTRIFICAÇÃO E DESOCUPAÇÃO: DEDO NA FERIDA É UM DESACATO

" Dedicado às vítimas do Moinho, Pinheirinho, Cracolândia, Macacos, Alcântara e todas as quebradas devastadas pela ganância"

Esta é a dedicatória com que Emicida inicia "Dedo na ferida". Por a cantar ao vivo na noite de ontem nos arredores de Belo Horizonte, foi detido pela Polícia Militar. O seu conteúdo; contra a especulação imobiliária, gentrificação e desocupação dos sem terra e sem habitação; é considerado pelas forças da ordem um desacato. ler mais




(pimenta nos zóio dos políticos) | Foda-se vocês, foda-se suas leis! | (a fúria negra ressuscita outra vez) | Foda-se vocês, foda-se suas leis | (anota meu recado) | Foda-se vocês, foda-se suas leis!
Scratchs (primeiro eu quero que se foda) | Renan samam, emicida, o rap ainda é o dedo na ferida
Vi condomínios rasgarem mananciais | A mando de quem fala de deus e age como satanás.| (uma lei) quem pode menos, chora mais, | Corre do gás, luta, morre, enquanto o sangue escorre | É nosso sangue nobre, que a pele cobre,| Tamo no corre, dias melhores, sem lobby. | Hei, pequenina, não chore. | Tv cancerigena, | Aplaude prédio em cemitério indígena. | Auschwitz ou gueto? índio ou preto?
Mesmo jeito, extermínio,| Reportagem de um tempo mau, tipo plínio. | Alphaville foi invasão, incrimine-os | Grito como fuzis, uzis, por brasis | Que vem de baixo, igual machado de assis. | Ainda vivemos como nossos pais elis | Quanto vale uma vida humana, me diz?
Foda-se vocês, foda-se suas leis! | (a furia negra ressuscita outra vez) | Foda-se vocês, foda-se suas leis! | (anota meu recado) | Foda-se vocês, foda-se suas leis! | (primeiro eu quero que se foda)
Renan samam, emicida, o rap ainda é o dedo na ferida...
É só um pensamento, bote no orçamento | Nosso sofrimento, mortes e lamentos, | Forte esquecimento de gente em nosso tempo | Visto como lixo, soterrado nos desabamento | Em favela, disse marighella. elo | Contra porcos em castelo | O povo tem que cobrar com os parabelo | Porque a justiça deles, só vai em cima de quem usa chinelo | E é vítima, agressão de farda é legítima. | Barracos no chão, enquanto chove. | Meus heróis também morreram de overdose, | De violência, sob coturnos de quem dita decência. | Homens de farda são maus, era do caos, | Frios como halls, engatilha e plau!
Carniceiros ganham prêmios, | Na terra onde bebês, respiram gás lacrimogênio.
Foda-se vocês, foda-se suas leis! | (a fúria negra ressuscita outra vez) | Foda-se vocês, foda-se suas leis! | (anota meu recado otario) | Foda-se vocês, foda-se suas leis! | (primeiro eu quero que se foda, depois eu quero que se dane) | Renan samam, emicida, o rap ainda é o dedo na ferida.