IMIGRAÇÃO, DIVERSIDADE E CONVIVÊNCIA CULTURAL #lisboa #mouraria uma transição urbana


Um tópico preemente na cidade de Lisboa têm sido as políticas urbanas para o centro da cidade: seus temas, paradigmas, discursos, metodologias e reinvenções.

Dada sua posição central, densidade histórica e a atenção específica da Câmara Municipal de Lisboa, a Mouraria tem merecido especial destaque, quer nos investimentos mas também na participação e observações por parte de diversos agentes.

Este mês, o Departamento de Sociologia da Faculdade de Letras da Universidade do Porto publicou um número temático: Imigração, Diversidade e Convivência Cultural, coordenado por Maria Manuel Mendes.

O número temático dedica vários capitulos ao bairro da Mouraria e área envolvente.




Bairro da Mouraria, território de diversidade: entre a tradição e o cosmopolitismo 
Maria Manuela Mendes

«Este texto tem por base uma pesquisa mais ampla cuja temática central se desenvolve em torno das culturas de convivência e super diversidade, assentando a sua matriz concetual nas propostas teóricas desenvolvidas por P. Gilroy e S. Vertovec. 
Neste lugar, procura-se discutir alguns resultados preliminares derivados de uma pesquisa de terreno realizada no Bairro da Mouraria, em Lisboa. A Mouraria, ao localizar-se no casco antigo da cidade de Lisboa, parece configurar-se, cada vez mais, como um “urban ethnic place”, sendo de evidenciar algumas disjunções que irão aqui ser alvo de análise e que têm marcado os discursos e as políticas em torno deste território: bairro típico e histórico versus bairro cosmopolita; bairro exótico versus bairro difamado; bairro dos imigrantes e dos estrangeiros versus bairro dos autóctones. 
Esta contribuição pretende, precisamente, problematizar as principais transformações em curso neste bairro lisboeta e avançar com algumas linhas de pesquisa e interpretação que contribuam para uma reflexão em torno dos processos de construção social de imagens públicas sobre a Mouraria.» Ler


Debatendo mitos, representações e convicções acerca da invenção de um bairro lisboeta 
Marluci Menezes 

«Este trabalho aborda as complementaridades e contrariedades da invenção do bairro da Mouraria, em Lisboa. Foca-se as tentativas de (re)invenção do bairro através de propostas de intervenção técnica e urbanística que fixam valores e representações, e símbolos urbanos identitários, sobretudo incrementados em torno das ideias de cidade ‘plural’ e ‘cultural’. Explora-se a hipótese de que a ambiguidade e a ambivalência, como as interconexões entre processos de emblematização e de estigmatização territorial, são centrais na interpretação da realidade ‘polifónica’ que é o bairro.» Ler


Etnicização residencial e nobilitação urbana marginal: processo de ajustamento ou prática emancipatória num bairro do centro histórico de Lisboa? 
Jorge Malheiros | Rui Carvalho | Luis Mendes

«À imagem do que acontece, atualmente, em muitas metrópoles da Europa do Sul, alguns bairros do centro histórico de Lisboa surgem marcados pela coexistência de dois processos de transição sócio-urbanística, nomeadamente a fixação de imigrantes não europeus e a evidência de uma nobilitação urbana marginal, cuja ocorrência paralela tem conduzido à diversificação cultural e étnica. Recorrendo à Mouraria como exemplo, procurar-se-á perceber como se materializa a interação e como são geridas as potenciais tensões entre os grupos que protagonizam os dois processos e, também, destes com a população “tradicional” do Bairro. Será conferida uma atenção particular aos marginal gentrifiers, procurando detetar eventuais paradoxos entre um discurso tolerante e localmente empenhado e práticas efetivas menos integradas nas redes sociais locais e, portanto, com menor potencial para promover a revitalização do lugar da Mouraria.»  Ler

O Espaço é o Lugar: O Martim Moniz na Migrantscape de Lisboa
Paula Gésaro

«O Martim Moniz é, atualmente, uma das zonas de Lisboa marcada pela diversidade social, étnica, cultural e geracional, concentrando-se ali um número expressivo de residentes e trabalhadores imigrantes de origem estrangeira. Os movimentos migratórios constituem um traço importante no crescimento e transformação urbana, configurando-se como um dos maiores agentes para a sua mudança social, económica e espacial. Esta análise pretende demonstrar que essas alterações se estendem, igualmente, à paisagem urbana (física e móvel) e à imagem da cidade. A zona do Martim Moniz emerge como um dos palcos da vibrante migrantscape de LisboaLer