DRONES E CAÇADORES DE PRÉMIOS #georgewright



Durante  o mês de Julho, o semanário Expresso fez uma reportagem sobre as reacções americanas à decisão da justiça portuguesa em não extraditar Jorge dos Santos.

O semanário teve acesso ao visionamento de um debate no Congresso americano sobre o assunto e ainda entrevistou Jonathan Winer, ex-secretário de estado para as Leis Internacionais de Clinton. As declarações deste último motivaram a apresentação de uma queixa-crime à Procuradoria Geral da República por parte de Joana Lopes e Diana Andringa (pode ser lida aqui).

Em virtude de a versão integral da reportagem não ter sido disponibilizada on-line, foram poucos aqueles que acederam às declarações de Jonathan Winer, pelo que é importante recordá-las:

"Temos soluções para quando um sistema legal estrangeiro impede justiça"

«Winer diz que as autoridades lusas ainda podem corrigir o erro "revogando a cidadania do criminoso"»

«(...) sugeriu engodos para atrair Wright para fora de Portugal. "Não quer publicar um livro ou fazer um filme? É uma oportunidade..." Outra opção seria uma operação como as que durante a era Bush foram chamadas "extraordinary renditions" (detenção extrajudicial em voos da CIA)."»

"Arrefeceria as realções com Portugal mas, se tudo falhar, porque não? Já fizemos o mesmo noutros países aliados - México e Itália - e tudo voltou ao normal"

"O passo seguinte é estabelecer uma recompensa pela entrega de Wright às autoridades americanas. A lei americana prevê-o e o próprio Supremo Tribunal considerou legal o recurso a recompensas e aos serviços de caçadores de prémios, ou seja, de alguém que, a troco de dinheiro, traga o fugitivo para os EUA."

«Expresso - Sugeriu aos congressistas o recuros a uma "extraordinary redition". Isso não violaria a soberania portuguesa?
- Violaria se andássemos atrás de alguém que passou um sinal vermelho. Ora este homem matou, desviou um avião, fugiu da prisão...Sabe, no fundo, o senhor Wright tem sorte de viver em Portugal e não no Paquistão, com o seu passado e o seu comportamento, teria um destes dias um drone a voar sobre a sua cabeça.»