AS PAIXÕES DA PSP


A deriva amorosa de um Chefe da PSP acabou nas primeiras páginas do Correio da Manhã. Não que o «amor» não seja um dos atributos jornalísticos do diário em causa, mas desta vez a notícia foi a ousadia do polícia em nome da apaixonada: desviou 4000 euros apreendidos numa operação.


Foi na tal operação de rotina que no mês passado assolou o bairro do Casal da Mira e as nossas casas através dos telejornais. Duzentos polícias, dois cordões, posto de controlo e checkpoint, equipa cinotecnica, blindado; tudo para pôr à prova as capacidades da PSP no combate ao trafico de estupefacientes.

Revistaram-se todas as pessoas que circulavam na rua, que entravam ou saiam do bairro, destruiram-se portas, destruíram-se bens materiais, chateou-se a paz social.

Pelos amores do Chefe dessa operação, ficámos a saber que, eventualmente uma das mais caras operações de rotina da PSP contra o trafico de estupefacientes desembocou na apreensão de 4000 mil euros, quantia que nem dá para um mês de salário de um comandante das forças de segurança.

Temos a sensação de que a PSP anda a investir nos bairros errados. Invistam na paz social do país, virem-se para a  Quintas, do Lago e da Marinha.