XXI Feira Laica: Lucas Almeida

O Lucas Almeida tem aparecido com bastante frequência aqui na stress.fm. O trabalho dele convive entre uma linguagem plástica, por vezes a tocar o abstracto, e uma linguagem mais ligada ao universo narrativo e figurativo. Desta vez, vamos salientar o trabalho dele relacionado com a banda desenhada.


Desde 2002 até aos dias de hoje, o Lucas tem editado com uma frequência algo flutuante o fanzine O Hábito Faz o Monstro. Fomos podendo encontrar as dúvidas, as emoções, os medos, as paixões e as ideias que o rodeavam através das suas bd´s editadas em  fotocópias a preto & branco. 

Com um carácter cada vez mais auto-biográfico e intimista, estas publicações foram assumindo um papel importante para o Lucas: eram como que uma forma dele pôr cá para fora coisas que o incomodavam ou que ele simplesmente sentia a necessidade de dizer. Depois de o fazer - disse-nos em entrevista - ele sentia-se mais leve. Cabe ao leitor perceber se esta afirmação é do foro psiquiátrico ou escatológico. Bem-vindos ao mundo do Lucas Almeida!



Como de costume, encontrámo-lo na Feira Laica com uma banca recheada com as suas impressões serigráficas. Mas desta vez, para além do livro Ossos do Oficio, havia uma outra novidade: um livro publicado pela Chili Com Carne onde estão compilados todos os números do fanzine atrás referido. E o livro chama-se: O Hábito Faz o Monstro!

Estivemos à conversa com o Lucas sobre esta antologia e sobre a evolução do trabalho dele. Podes ouvir a totalidade da entrevista aqui:


A escolha da banda sonora da entrevista foi da inteira responsabilidade do Lucas:

Moondog - Autumn
 Rocket Juice And The Moon - 1-2-3-4-5-6
Grateful Dead - Franklin's Tower
 Morphine - Like Swimming

Aproveitamos, também, para anunciar o lançamento oficial do livro O Hábito Faz O Monstro que irá decorrer na Sociedade Musical União Paredense (SMUP), na Parede, no próximo dia 2 de Fevereiro de 2012. Aqui está o cartaz:


artigos relacionados:

Ossos do Oficio: entrevista a Lucas Almeida e David Leitão

Podcasts: Mais Vale Tarde Que Nunca