MOTELx Temporada 7

Terminou no passado domingo dia 15 o Festival MOTELx, depois de cinco dias a mostrar o que de melhor se faz no cinema de terror a nível nacional e internacional.


O Festival Internacional de Cinema de Terror de Lisboa, que é o representante de Portugal na Federação Europeia de Festivais de Cinema Fantástico (EFFFF), encheu o cinema São Jorge num maravilhoso ambiente proporcionado pelo profissionalismo e dedicação da organização e pela visível paixão do público que não veio só em busca dos grandes títulos de culto (os títulos assinados pelos mestres convidados - Hideo Nakata e Tobe Hooper, ou o título The Conjuring realizado pelo não menos ilustre James Wan) como se entregou às películas menos conhecidas que foram uma agradável surpresa e serão por certo os futuros clássicos do género.

O festival que é organizado pelo CTLx – Cineclube de Terror de Lisboa, em colaboração com a Câmara Municipal de Lisboa e a EGEAC e em co-produção com o Cinema São Jorge teve nesta sua 7ª edição o espaço de actividades alargado até ao Hotel Flórida (onde decorreu o workshop de stop motion) e ao Palácio Foz (onde foi realizado o atelier de cinema de animção e exibidas as películas da secção lobo mau em honra do trabalho de Ray Harryhausen). Também alargado foi o número de Mestres homenageados com espaços dedicados a três grandes mestres do cinema – Tobe Hooper, Hideo Nakata e o falecido Ray Harryhausen.

Com um cartaz impressionante composto por 80 películas entre curtas e longas-metragens, inúmeras actividades paralelas marcantes e películas de enorme qualidade acompanhadas de um surpreendente número de realizadores e convidados ilustres estes cinco dias de festival foram verdadeiramente inesquecíveis para os apreciadores do cinema de terror.


E os fãs corresponderam à programação com uma impressionante afluência - todos os dias havia pelo menos duas sessões esgotadas e as filas para entrar nas salas eram intermináveis.
Filas intermináveis nas bilheteiras ou filas que começavam no piso superior do São Jorge à entrada da sala Manoel de Oliveira e se estendiam até à entrada principal do cinema eram a norma entre as sessões mas a espera não era desagradável pois qualquer momento no cinema São Jorge durante estes dias era uma dádiva ao fã do terror que se preze - e uma das fortes razões para tal foi o facto de os convidados (e as presenças desta edição foram tantas e tão ilustres) passearem-se pelo cinema, prontos para distribuir um autógrafo, para uma foto ou para dois dedos de boa conversa.

A paixão pelo género que levava à busca do melhor lugar tornava as filas o lugar de eleição para conversas sobre a 7ª arte proporcionando inúmeras e assertivas ante-visões e críticas sobre o cartaz, assim fazendo esquecer a demora. Para além disso o tempo que decorria entre as sessões permitia um saltinho ao espaço dedicado ao duelo patrocinado pela Yorn que opunha Sadako (a mítica personagem saída da saga Ringu, de Hideo Nakata) e Leatherface (o icónico assassino que usa a cara das suas vítimas como máscara e nasceu em Texas Chainsaw Massacre, assinado por Tobe Hooper). Neste espaço um MUPI criado pela JC Decaux com um contador integrado permitia aos fãs votarem no seu vilão favorito entre estas personagens nascidas das obras dos dois mestres convidados da edição deste ano do festival.

Todo o ambiente era assim um regalo para o verdadeiro entusiasta do terror que era ainda brindado com bandejas de shots trazidas por sexy-zombie-enfermeiras que se passearam no cinema São Jorge durante estes dias.


MOTELx Dia 1

No primeiro dia de festival, quarta-feira dia 11, a sala Manoel de Oliveira encheu para a Sessão de abertura do festival MOTELx composta pela exibição de Dédalo e Open Grave. Antes da exibição das películas a audiência foi brindada com os discursos oficiais de abertura ao festival de terror e que trouxe ao palco Safaa Dib, membro do júri do Prémio Yorn MOTELx, Jerónimo Rocha, realizador da curta Dédalo e Gonzalo López-Gallego - realizador de Open Grave e que repete a presença em Lisboa depois de ter acompanhado a película King of the Hill durante a edição de 2008 do MOTELx.


Quanto às exibições, coube à curta Dédalo dar o início oficial às hostilidades num registo que presta homenagem ao ambiente de terror no espaço da saga Alien. A curta criada pela Produtora Take It Easy foi seguida por Open Grave, a última longa metragem de Gonzalo López-Gallego e que conta com Sharlto Copley no papel principal.

No fim da sessão houve um momento de Q & A com Gonzalo Lopéz-Gallego, onde o realizador espanhol respondeu às perguntas do público abordando temas como as inspirações e dificuldades na realização de Open Grave.


Neste primeiro dia o público do festival pôde ainda contar com a exibição de V/H/S/2, Countdown, Shooting Bigfoot, Dark Water, Home Sweet Home, We are what we are, Eggshels e na última sessão do dia a presença dos realizadores Sonny Laguna e Tommy Wiklund e do produtor David Liljeblad que acompanharam a exibição da sua última longa-metragem - Wither.



Dia 2

O segundo dia a acção do festival de terror começou mais cedo que o habitual com o início das primeiras actividades inseridas na secção Lobo Mau e dos workshops de Caracterização e Animação .
A sala Montepio recebeu o workshop de caracterização de João Rapaz e Helena Batista enquanto no Hotel Florida Bruno Caetano e João Faria apresentaram o Workshop de Stop Motion e o Palácio Foz - espaço que recebe a Secção Lobo Mau  dedicada ao trabalho de Ray Harryhausen, mestre dos efeitos especiais- foi o palco de um atelier de cinema de animação e da exibição de Mighty Joe Young.

Este dia foi também marcado pela presença de Tobe Hooper na sessão que exibiu Texas Chainsaw Massacre onde o realizador a quem é dedicada a secção Culto dos Mestres Vivos deste ano explicou a origem do icónico filme.

Quanto ao restante cartaz de dia 12 foi composto por ABC's of Death, Cheap Thrills, Lords of Salem, Chained, Room 237, abductee, The Desert, Goosebumps, Home Sweet Home e inúmeras curtas-metragens entre as quais se destacam as concorrentes ao Prémio Yorn MOTELx- Desespero, Sara e Bílis Negra, que foram acompanhadas pelos respectivos representantes da equipa de execução.



Dia 3 - Sexta feira 13

O terceiro dia de festival carregava o valor simbólico de calhar a uma sexta-feira 13, conhecido como um dia de azar. Mas com um cartaz à prova de qualquer agoiro o dia ficou marcado por uma das exibições mais esperadas - a ante-estreia em Portugal de The Conjuring, a última pelicula de James Wan (Saw, Insidious) que foi exibido numa sessão dupla ao lado de V/H/S/2.

Durante o dia foram exibidos também: Countdown; Belenggu; Byzantium; Dark Touch, o último filme de Marina de Van que esteve presente nesta sessão num momento de Q&A; Ringu, de Hideo Nakata; Toolbox Murders, de Tobe Hooper; O Crime da Aldeia Velha, filme de género português realizado por Manuel Guimarães e que integra a secção Quarto Perdido. Ouve ainda espaço para uma sessão especial na sala 3 com a exibição em ante-estreia do primeiro episódio da 6º temporada de True Blood que contou com um representante do canal mov. 



Ante-final

O penúltimo dia trouxe-nos Kiss of the Damned e a sua realizadora Xan Cassavetes, numa sessão que começou com a curta Hair e uma "curta" introdução do seu realizador, João Seiça e que terminou com um momento de Q & A com Xan Cassavetes.

Quem marcou presença no cinema São Jorge durante este sábado dia 14 pôde ainda assistir na sala na sala principal a John dies at the endCheap thrillsThe Complex, o mais recente filme de Hideo Nakata, e a sessão dupla Girls against boys e The ABC's of death.
Na sala 3 as exibições começaram com a Sessão Curtas ao almoço - que exibiu quatro das nove curtas candidatas ao prémio Yorn MOTELx (Bílis Negra, O coveiro, Sara e Monstro) - e continuaram com Eaten Alive, a Masterclass Tobe Hooper, Despite the Gods, The Lords of Salem e It´s a beautiful day.Este dia contou ainda com "Tarde de jogos (pouco) assustadores" seguida de "Noite de Jogos de Terror", na sala montepio, e marcou o final do terror MOTELx fora do São Jorge com as duas últimas actividades da Secção Lobo Mau no Palácio Foz - a exibição de Jason and the Argonauts e One million years B.C. e o Atelier de cinema de animação.



Último episódio

Neste último dia a sala montepio "encheu-se" de Masterclasses: a Masterclass Dédalo ofereceu ao público a história por trás da curta Dédalo, contada pelo realizador Jerónimo Rocha ao lado de João Rapaz, (caracterização e efeitos especiais) Bruno Caetano (construção de modelos) e Sofia Helena (actriz que encarna a protagonista Sienna;

A Masterclass Daddy Cross ensinou como fazer filmes com absolutamente nada, ou aliás, com o pouco que estiver ao nosso dispor. Com muitíssimo bom humor, James Pearcy, Russ Would e Evrim Ersoy da produtora Ne'er Do Well usaram o seu trabalho como exemplo prático da matéria que se prestaram a ensinar - trabalho esse que esteve presente na edição de 2012 do MOTELx com a curta Daddy Cross ou com os spots publicitários que aconselham de forma muito convincente a desligar o telemóvel durante uma sessão de cinema criados para o frightfest -  Turn Off Your Bloody Phone!!!


Já na Masterclass Hideo Nakata o grande mestre do cinema de terror desvendou alguns dos seus segredos de criação na 7ªarte. Uma Masterclass completamente preenchida, em que os bilhetes esgotaram com a rapidez a que os fãs do Motel tiveram que se habituar nesta edição. Para os muitos que não conseguiram bilhete: (equipa stress.fm incluída...) a Masterclass Hideo Nakata. (Graças à equipa Cinemaville)

Na sala 3 a sessão de curtas ao almoço voltou a ser dedicada ao prémio Yorn MOTELx com a exibição de Longe do Eden, Desespero, Hair, A herdade dos defuntos e Nico - A revolta.
Durante a tarde a sala recebeu ainda Chaos de Hideo Nakata,  A promessa , Painless - com a presença de Juan Carlos Medina (realizador e que protagonizou uma sessão de Q & A no fim da sessão) Luis Galvão Teles (produtor, que brindou o público com um cativante discurso que terminou com um pedido pertinente para não deixar o cinema português morrer) e Tomás Lemarquis (o actor que protagonizou a película); We are what we are e Hell baby.

Na sala Manoel de Oliveira Byzantium foi o primeiro filme a ser exibido, seguido de The Battery, The Texas chainsaw Massacre 2, e Maniac.


A sala principal recebeu também aquele que pode ser considerado ponto alto deste domingo - a Sessão de encerramento que contou com a presença em palco da direcção do MOTELx, os membros do Júri do prémio para a melhor curta de terror e todos os ilustres convidados que ainda se encontravam presentes no festival: Tobe Hooper, Hideo Nakata, Xan Cassavetes, Juan Carlos Medina, a equipa da Ne'er do Well Films...

Safaa Dib, Nuno Markl e Thierry Phlips subiram ao palco para entregar o prémio para a melhor curta de terror portuguesa de 2013, e num discurso escrito por Safaa Dib, Nuno Markl anunciou a curta O Coveiro de André Gil Mata como a grande Vencedora do prémio Yorn MOTELx melhor curta de terror portuguesa 2013 que corresponde a um prémio monetário de três mil euros e ao Méliès d’Argent para melhor curta-metragem que garante a automática selecção para concorrer ao prémio anual Méliès d’Or, atribuído pela Federação Europeia de Festivais de Cinema Fantástico. Coube ao actor David Almeida subir ao palco para receber o prémio em nome do realizador que agradeceu em video.
Nesta sessão também Rui Pilão foi galardoado com uma menção especial pela curta O Desespero que narra a história de uma família afectada pela crise económica e as medidas de austeridade

Tobe Hooper recebeu o prémio correspondente à escolha para a secção Culto dos Mestres Vivos, e mostrou-se atrapalhado na altura do discurso perante a enorme ovação do público.

Os restantes convidados subiram ao palco numa despedida que mereceu a sentida ovação do público.

Esta foi uma sessão animada que aumentou o sentimento de satisfação de quem assistiu ao festival e que é exemplo do irrepreensível trabalho dos seus criadores numa sessão em que o filme escolhido - You're Next - é para além de uma película soberba e uma agradável surpresa, uma combinação perfeita com o encerramento desta edição do MOTELx. Morrem todos os personagens na película. Nasce no público as saudades desta edição e a ânsia que a próxima chegue rápido.




Para além da soberba programação é necessário frisar que o excelente resultado desta inesquecível edição do festival foi garantido por um trabalho irrepreensível por parte de todos os elementos do staff da organização do festival e da equipa do Cinema São Jorge que nesta 7ª edição do MOTELx mantiveram a característica que já se tornou hábito de elevar a cada ano a fasquia da qualidade. Para o ano há mais, esperemos que a tradição se mantenha e haja também melhor.