Associação Terapêutica do Ruído apresenta: Putan Club

Cartaz: José Smith Vargas

A Associação Terapêutica do Ruído, em conjunto com várias promotoras e espaços, trás pela primeira vez a Portugal os Putan Club, projecto de François Cambuzat dos L’Enfance Rouge.

A digressão começa no Salão Brazil (Coimbra), no dia 9, seguido do Lounge (Lisboa), no dia 10, a Casa da Cultura (Setúbal), no dia 13, o Club de Vila Real (Vila Real), no dia 16, e terminará no Amplifest (Porto), no dia 20.



Dois selvagens na estrada. Guitarras, baixo, computador, industrial, techno/dubstep e selvajaria – como se o Skrillex violasse os Birthday Party: groove e electricidade. Com mais de 700 concertos desde a sua formação, pela Europa, África e Ásia, fazendo também de backing-band para a Lydia Lunch, o PUTAN CLUB é uma célula de resistência artistíca, iconoclasta e violenta, groovy e evidentemente sexy, caracterizada por um modo de actuar muito próximo ao das primeiras conspirações europeias durante a última guerra mundial (acções de força em lugares diversos) e ao dos membros da resistência no Iraque e Afeganistão ou na Chechénia. 

A resistência é organizada com os meios arcaicos e imediatos do nosso século: vozes e ruídos electrónicos, viaturas de combate e palavras contadas, que é como dizer, desde a pintura rupestre ao conceptualismo mais intrépido, desde o avant-rock até à música clássica contemporânea e até à música techno/dubstep mais brutal, desde o beijo na boca até ao pontapé no cu...