CAPA DA SEMANA #alkantara #alkantarafestival Tim Etchells: Lisbon by Sound

«Foi assim que chegámos ao Cais do Gás. Este lugar tem uma identidade sonora muito forte e dali vê-se a ponte, a cidade, as pessoas a chegar e a entrar para os barcos, os pescadores, pessoas perdidas e todas as oposições próprias de um espaço público que é simultaneamente de passagem, pausa, trabalho e que contém no presente, indícios que nos ligam aos seus vários passados e possíveis futuros. Foi a partir desta ideia de simultaneidade que nos aproximámos do cais e criámos esta experiência sonora. Procurámos a simplicidade do diálogo de quem descreve o que observa e ouve e, ao mesmo tempo, de quem dá a ver e a ouvir. A nomeação dos elementos da paisagem surge como uma forma de nos aproximarmos do lugar.»

Sofia Dias e Vítor Roriz



O Teatro-Estúdio Mario Viegas a aguardar mais uma recepção a um momento do Alkantara Festival. É a legenda da capa desta semana da Stress.FM, que aproveita assim para assinalar no corpo do seu interface esse certame que tem feito parto do imaginário cultural da cidade nos últimos 21 anos.

Com a abertura oficial a 21 de Maio, e ainda no seu começo, o Alkantara Festival tem marcado os últimos dias da cidade de Lisboa, com salas cheias e reviews positivos de espectáculos como Suite nº1 ABC de Joris Lacoste (no Teatro São Luiz) e Germinal de Halory Goerger & Antoine Defoort (no Maria Matos).

Há um elemento acessório a todos os momentos do Festival deste ano, a interrogação sobre a sua continuidade, expressa através de uma petição e abaixo-assinado, e na reivindicação dos artistas, que expressam no fim do cada espectáculo essa dúvida, promovendo a agregação do público a um raciocínio colectivo sobre o futuro.



Ontem, 24 de Maio, o Teatro-Estúdio Mario Viegas não recebeu um espectáculo mas uma apresentação. Aproveitando que Tim Etchells é o artista da cidade de Lisboa em 2014, foi associado ao Alkantara para um trabalho de curadoria colectivo, o Lisbon By Sound; um convite a quatro artistas lisboetas para a concepção de peças sonoras sobre a cidade.

Assim: Vera Mantero, Patrícia Portela, Rui "Riot" Pité e a dupla Sofia Dias/Vítor Roriz; conceberam, a partir da significância do lugar um trecho sonoro, entre 5 a 10 minutos, que convida a uma audição in situ.

De dependência online, mais do que configurar nos créditos, o Projecto deve bastante à criatividade de Ana Teresa Ascensão que idealizou toda a concepção da imagem e web design. A designer foi também responsável pela imagem da edição deste ano do Festival Alkantara.


Sobre a abertura do Alkantara Festival: AQUI
Fotografias do mundo Alkantara: AQUI