RÁDIOGRAFIA: exploração para a construção de um retrato sonoro e visual da cidade do Fundão

Integrada na edição de 2014 do Festival Cale, no Fundão, a exposição RÁDIOGRAFIA vai estar aberta ao público nos dias 1, 2 e 3 de Agosto, das 18h à meia noite. É um projecto desenvolvido por João Bento e Marta Amaro, integrado no ciclo PASSAGEM
 

O presente trabalho na loja Pais & Fradinho Lda do Fundão é um exercício que pretende dar a ver e ouvir um arquivo vivo sobre a história desta cidade. Constituído por uma recolha iniciada em 2008 e sobretudo baseada em histórias dos que nasceram e habitaram a Rua da Cale. Essa artéria que foi fonte de vida e uma das ruas mais fortes a nível comercial para muitos dos que se deslocavam de fora e para outros que aqui sempre viveram. A história começa há muitos anos, com um aglomerado populacional que se desenvolveu, comercialmente, na conhecida Rua da Cale. Tendo como ponto de partida a comunidade Judaica aqui instalada, apresenta-se a teoria sobre a génese do nome da própria rua. Da palavra Kahal, símbolo de ágora e de fórum, centro sócio-cultural e ponto de encontro de uma comunidade que servia os trabalhadores da terra aqui existentes. Latoeiros, relojoeiros, alfaiates, sapateiros... Recolhemos alguns objectos icónicos desta mesma rua e instalámo nos cinco anos depois do início desta recolha, na loja Pais & Fradinho Lda, gentilmente cedida pela dona Umbelina e o seu filho Helder Pais. Loja que primeiramente nos anos 50 também existiu na Rua da Cale e que hoje, como muitas outras lojas do Fundão, fechou as portas. Aqui discutimos durante vários dias o modo de dar a ver e ouvir este arquivo. Não estando ele encerrado em parte alguma, pois este é um trabalho que queremos continuar a descobrir, a descodificar e a entender, sempre que a história da nossa terra assim nos surpreenda. Aqui mesmo nesta loja, situada num sítio privilegiado do Fundão pela sua centralidade e história, renovámos o nosso leque de entrevistas e pensámos a documentação até à data arquivada. Muitos dos elementos que encontrámos estão hoje aqui em diálogo, sabendo que muita história perdida está, mas esperamos contribuir, por pouco que seja, para a memória colectiva do Fundão. 


Links relacionados: