Lançamentos de Bestiário Ilustríssimo II / Bala, de Rui Eduardo Paes

Bestiário Ilustríssimo II / Bala, novo livro de Rui Eduardo Paes, vai ser lançado na Casa dos Amigos do Minho (Intendente, Lisboa), no dia 6 de Fevereiro e na SMUP - Sociedade Musical União Paredense (Parede), no dia 7 de Fevereiro. Ambos os eventos começam às 21.30h e incluem apresentação do livro com presença do autor e convidados, e concertos. [informação mais detalhada, AQUI


Depois do sucesso de Bestiário Ilustrissimo, Rui Eduardo Paes volta à carga com a segunda parte desta “(anti-)enciclopédia sobre as músicas criativas". Este segundo tomo do Bestiário foi novamente co-editado pela Chili Com Carne e a Thisco, na colecção THISCOvery CCChannel.

Este volume compila dois livros num só: Bestiário Ilustríssimo II e Bala. O primeiro é uma vez mais ilustrado por Joana Pires, o outro por David de Campos.

Mais detalhes sobre
Bestiário Ilustríssimo II / Bala:

O jazz criativo, a música livremente improvisada, o rock alternativo e os experimentalismos sem rótulo possível voltam a ser as áreas cobertas, sempre associando os temas com questões da filosofia, da sociologia e da teoria política, num trabalho de análise e desmontagem das ideias por detrás dos sons ou das implicações destes numa realidade complexa. Os textos reenviam-se entre si gerando temáticas que vão sendo detectadas pelo próprio leitor, mas diferentemente de Bestiário Ilustríssimo há um tema geral nesta nova obra de Paes: o tempo.

A tese é a de que quem escreve sobre música, mas também todos os que a ouvem, está sempre num tempo atrasado em relação à própria música, um “tempo-de-bala”, de suspensão de um tiro no ar, como no filme “Matrix”. O alinhamento dos capítulos não se organiza segundo tendências musicais ou arrumando os nomes referidos em sucessão alfabética, como numa convencional enciclopédia. Todos os protagonistas e suas músicas surgem intencionalmente misturados, numa simulação do caos informativo em que vivemos nos nossos dias. Propõe-se, assim, que se leia Bestiário Ilustríssimo II / Bala como se se navegasse pela Internet, procurando caminhos, relações, cruzamentos, desvios.

A mente não é uma estante, é um bisturi.


[Crítico de música com 30 anos de carreira, Rui Eduardo Paes define o seu oficio como um serviço público e comunitário, dirigido à comunidade musical em geral.  É autor de "[...] vários livros sobre as músicas criativas, cobrindo o leque de tendências que vai do avant-jazz à música experimental, passando pelo rock alternativo, a música contemporânea, a new music, a música improvisada e a electrónica. É o editor da revista jazz.pt."*]


Links relacionados:
Site de Rui Eduardo Paes
Lançamento de Bestiário Ilustríssimo (audio)
Entrevista a Rui Eduardo Paes, na stress.fm (audio)