People Like Us / Vicki Bennett apresenta Citation City, na SMUP

A artista britânica Vicki Bennett, também conhecida como People Like Us, fará uma apresentação do seu novo projecto “Citation City” na SMUP, Parede, no dia 17 de Abril de 2015.

People Like Us tem desenvolvido trabalho na área da colagem audio-visual e é considerada uma das artistas mais influentes nesta área.



Vicki Bennett tem-se especializado na manipulação e recriação de fragmentos sonoros e visuais com origem tanto em meios experimentais como populares. Em 2006, foi-lhe concedido acesso ilimitado aos arquivos da BBC.

People Like Us já fez performances no Festival Sonar, Maxxi, na Tate Modern, no Barbican Centre, no Centro de Cultura Digital, entre outros. Nos últimos anos, tem colaborado com a rádio WFMU, como dj-residente-à-distância.


Citation City: Um labirinto colossal

Uma viagem no tempo através de uma cidade. Uma história dentro de uma história, dentro de uma história.

O que acontece quando múltiplas narrativas se combinam? Que histórias nos poderão contar que uma história isolada nunca nos contaria?

Citation City, o último projeto de Vicki Bennett, combina múltiplas narrativas para criar a história de uma cidade, Londres, num período de enormes mudanças.

A partir de 300 filmes e mais de mil clips de vídeo que têm Londres como cenário, Vicki Bennett cria um patchwork colossal, um labirinto inspirado pelo ambicioso e derradeiro projecto de Walter Benjamin, The Arcades Project, que procurava mapear Paris através de fragmentos literários sobre a cidade (e que ficou inacabado devido à morte do autor em 1940).

Quando pesquisou sobre o projecto de Walter Benjamin, Vicki Bennett constatou que havia uma enorme semelhança entre os seus processos criativos: corte e colagem de fragmentos, agregados por listas de temas que funcionam como um sistema de informação.

Em Citation City, o trabalho audiovisual é criado a partir da colagem de clips de texto e imagens através de um sistema de “convergência” em que temas-chave, figuras históricas, tipos sociais e locais funcionam como íman, criando relações entre as imagens e revelando uma rede de afinidades escondidas. 



 
A performance consiste na projecção do filme e na criação, ao vivo, de uma banda sonora, composta por fragmentos de sons retirados dos filmes e novas composições inspiradas pelo conteúdo das imagens.